#
Conferência Anual da CMVM | Conferência Pública IOSCO
CMVM 1991-2021
Mercados de capitais globais
Compreender o futuro

CMVM
2021

A Conferência anual da CMVM de 2021 – que é também a conferência pública da 46ª Reunião Anual da IOSCO que terá lugar em novembro - irá celebrar o 30º aniversário da CMVM num momento crítico para a economia mundial.

A conferência reunirá profissionais, decisores políticos, académicos, investidores e think tanks a nível mundial para discutir os principais desafios regulatórios, prioridades e oportunidades para que o setor financeiro reforce o seu contributo para o crescimento global e sustentável.





4 - 5 novembro 2021 | Lisboa | C.C.Lisboa
Programa


Dia 1
4 Novembro


(As horas são indicativas e podem mudar até à realização da conferência)
14:00 - 14:30
Boas-vindas
Gabriela Figueiredo Dias, Presidente - Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)
Ashley Alder, Presidente - Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO)
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa
14:30 – 15:35
Mercados de Capitais Globais: desafios num contexto de mudança
Erik Thedéen, Diretor-Geral - Autoridade de Supervisão Financeira da Suécia (Finansinspektionen)
José Manuel Campa, Presidente - Autoridade Bancária Europeia (EBA)
Lucrezia Reichlin, Professora - London Business School
Manuela Veloso, Diretora do Centro de Investigação de Inteligência Artificial - J.P. Morgan
Num momento em que o mundo tenta reerguer-se de uma das maiores crises da história da humanidade, a sessão irá debater o desempenho e perspetivas para os mercados de capitais globais, o seu papel na promoção do crescimento e prosperidade, e principais riscos que se colocam. Os membros do painel serão convidados a refletir sobre temas como:

• O contributo dos mercados de capitais para o crescimento económico na Europa, E.U.A. e Ásia;
• Financiamento em mercado para reforço de capitais próprios e tendências nos mercados de capitais públicos e privados;
• Desafios dos setores do mercado e bancário face à baixa taxa de juros mundial;
• Riscos derivados de protecionismo e restrições a nível nacional.
15:35 – 16:40
Impulsionadores do capitalismo e os mercados de capitais no século XXI
Josina Kamerling, Diretora de Regulação - CFA Institute
(moderadora)
Heinz Koller, Diretor Regional para a Europa e Ásia Central - Organização Internacional do Trabalho
Jella Benner-Heinacher, Diretora-Geral Adjunta - DSW
Luca Enriques, Professor - Universidade de Oxford
Marcelo Barbosa, Presidente - Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM)
Niamh Moloney, Professora - London School of Economics
A estabilidade económica e financeira que marcou o último quarto do século XX foi interrompida. As primeiras duas décadas deste século têm sido marcadas por crises, alterações climáticas severas, instabilidade social e política, e de um aumento do descontentamento face à crescente desigualdade social. Em reação, o objetivo e caraterísticas organizacionais do regime capitalista e o papel das empresas estão sob escrutínio. Nesta sessão, os membros do painel debruçar-se-ão na discussão de temas como:

• Do capitalismo acionista ao capitalismo das partes interessadas: que mudanças?
• Enviesamentos nas lógicas de curto prazo e desafios das perspetivas de longo prazo;
• Mudança de padrões de cultura empresarial;
• O poder de influência dos investidores institucionais em teoria e na prática.
16:40 – 17:00
Intervalo para café
17:00 – 17:50
Compreender o Futuro: tendências teóricas e práticas
Ricardo Reis, Professor - London School of Economics
(moderador)
Clara Raposo, Presidente - ISEG
Guntram Wolff, Diretor - Bruegel
Karel Lannoo, Presidente Executivo - Centre for European Policy Studies (CEPS)
Pedro Matos, Diretor Académico - Richard A. Mayo Center for Asset Management
A sessão vai explorar os desenvolvimentos com impactos a longo prazo na nossa economia e nos mercados financeiros.
17:50 – 19:10
A estabilidade financeira vista sob o prisma dos mercados de capitais
Conversa informal:
Ashley Alder, Presidente - IOSCO
Randy Quarles, Presidente - Conselho de Estabilidade Financeira (FSB)

Martin Moloney - IOSCO
(moderador)
Dalia Blass, Diretora-Geral e Responsável de Assuntos Externos - BlackRock
Robert Ophèle, Presidente - Autoridade dos Mercados Financeiros de França (AMF); Vice-Presidente - Financial Stability Engagement Group (FSEG/IOSCO)
Sir Jon Cunliffe, Vice-Governador - Banco de Inglaterra; Presidente - Committee on Payments and Market Infrastructures (CPMI)
William Dudley, Investigador Sénior - Universidade de Princeton
Esta sessão explorará os desafios que se colocam nas reformas de estabilidade financeira no âmbito do setor financeiro não-bancário. Organizada em colaboração com a IOSCO/OICV, serão discutidos os principais relatórios, conclusões e opções de políticas sob escrutínio desde o choque de março de 2020. Nesta sessão, os membros do painel debruçar-se-ão na discussão de temas como:

• Resiliência dos fundos do mercado monetário;
• Gestão de liquidez em fundos abertos;
• Liquidez do mercado obrigacionista de dívida privada;
• Ferramentas macroprudenciais para os mercados de capitais.
20:30 – 22:30
Jantar





Dia 2
5 Novembro


(As horas são indicativas e podem mudar até à realização da conferência)
09:00 – 09:30
Discurso sobre o tema: “O Financiamento da Recuperação”
António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal (tbc)
09:30 – 10:40
Os desafios da regulação dos mercados de capitais globais e digitalizados
Filippo Annunziata, Professor - Universidade Bocconi
(moderador)
Cathie Armour, Comissária - Australian Securities and Investments Commission (ASIC)
Dan Waters, Membro do Conselho de Administração - Vanguard
Katja Langenbucher, Professora - Goethe-University
Luís Morais, Presidente - Centro de Investigação sobre Regulação e Supervisão do Sector Financeiro (CIRSF)
Natasha Cazenave, Diretora-Executiva - Autoridade Europeia dos Valores Mobiliários e dos Mercados (ESMA)
São enormes os desafios colocados aos reguladores pela globalização financeira e pela digitalização. Esta sessão debaterá os temas mais relevantes que a comunidade internacional de reguladores e supervisores terá de enfrentar. Os membros do painel debaterão temas como:

• A definição de padrões globais e o desafio do enforcement: desafios para a IOSCO/OICV e para os supervisores regionais;
• Os enquadramentos regulatórios de novas realidades ou de realidades em expansão: fintech, inteligência artificial, licenças de emissão, intermediação de crédito não-bancária;
• Como controlar a conduta de negócio: do caso Enron ao Wirecard – o que conseguimos aprender?
• Os recursos dos reguladores e supervisores, desempenho e responsabilização.
10:40 – 11:10
Intervalo para café
11:10 – 12:10
Sessões de “Call for papers” organizadas simultaneamente por Bruegel, CIRSFe CEPS-ECMI

A sustentabilidade na prática e na regulação (organizada pelo Bruegel)
Esta sessão debaterá os resultados dos melhores artigos escolhidos entre os candidatos que tenham respondido ao call for papers promovido especificamente para a conferência. A sessão pretende explorar os principais desafios decorrentes de tendências de sustentabilidade financeira nos mercados de capitais, nomeadamente:

• As implicações de uma classe de ativos verdes para a liquidez e estrutura dos mercados;
• Análise do contributo dos prestadores de serviços do setor privado e dos requisitos para um regime regulatório eficiente;
• Integração dos requisitos de divulgação de informação e de labelled instruments;
• As implicações da divulgação de informação não financeira e do reporte em matéria de sustentabilidade;
• O interesse crescente dos investidores por ativos ESG e a emergência de mandatos direcionados para esse tipo de ativos ESG: implicações para o governo das sociedades e o envolvimento dos investidores.



A digitalização do investimento financeiro (organizada pelo CIRSF)
Organizada pelo CIRSF, esta sessão debaterá os resultados dos melhores artigos escolhidos entre os candidatos que tenham respondido ao call for papers promovido especificamente para a conferência. A sessão pretende explorar os principais desafios decorrentes das tendências de digitalização nos mercados de capitais, nomeadamente:

• Criptoativos, stablecoins e moedas digitais de banco centrais;
• Plataformas e proteção do investidor;
• De que forma as big techs estão a mudar as finanças modernas;
• A digitalização de plataformas de negociação;
• DLT e blockchain nas infraestruturas de mercado.



O desenvolvimento dos mercados de capitais na UE e no resto do Mundo (organizada pelo CEPS-ECMI)
Organizada pelo CEPS-ECMI, esta sessão debaterá os resultados dos melhores papers escolhidos entre os candidatos que tenham respondido ao call for papers promovido especificamente para esta conferência. A sessão pretende explorar os principais desafios ao desenvolvimento dos mercados de capitais e a sua contribuição para o crescimento económico, nomeadamente através de investigação sobre tópicos como:

• Mercados de capitais globais e o seu papel no financiamento da recuperação financeira pós Covid-19;
• Risco de capital pré-IPO, capital de risco e capital privado;
• Atividade dos mercados primário e secundário;
• O custo da fragmentação - União Europeia e Reino Unido;
• Resiliência e resolução das infraestruturas de mercado.
12:10 - 13:20
Como podem o sector financeiro e os decisores contribuir em benefício da sociedade
Intervenção inicial:
Mairead McGuinness, Comissária dos Serviços Financeiros, Estabilidade Financeira e União dos Mercados de Capitais - Comissão Europeia

Martha Oberndorfer, Membro do Securities and Markets Stakeholder Group - ESMA
(moderadora)
Guillaume Prache, Diretor-Geral - Better Finance
Sir John Kay (CBE), Economista
Stéphane Boujnah, CEO e Presidente - Euronext
Veerle Colaert, Professora - Universidade KU Leuven
A sessão debaterá como reforçar os sistemas financeiros a fim de satisfazerem, eficientemente, as necessidades de poupança e de investimento das famílias e das empresas, ao mesmo tempo que merecem a confiança do público e contribuem para o crescimento económico, a inovação e a prosperidade. Os membros do painel irão refletir sobre temas como:

• Preferências e necessidades dos investidores: de novos serviços a retornos adequados (e produtos);
• Proteção dos investidores e o reforço da sua confiança na integridade do mercado: literacia financeira, conduta de mercado, gestão de produto, inclusão financeira e requisitos de transparência;
• A construção na Europa de uma união bancária e dos mercados de capitais. Exemplos de outras regiões.